CADASTRO  ::   CLASSIFICADOS  ::   FALE CONOSCO   ::   PARTICIPE   ::   ANUNCIE
:. Página Inicial
:. Adicionar aos Favoritos
Google
  CIENTÍFICA
  Cursos
  Fórum
  Links

 
  WEBTURMAS
  Mural

  Turmas
  
  SERVIÇOS
  
  UTILIDADES
  
 
 
Notícia 17/09/04

        NÚMERO DE EQUIPES DE SAÚDE BUCAL NO NORDESTE CRESCE 92,7%

        O Ministério da Saúde praticamente duplicou o número de equipes de saúde bucal implantadas na atenção básica em todo o Nordeste. Entre dezembro de 2002 e julho de 2004, o total de equipes na região cresceu 92,7%, elevando para 4.114 o número de grupos de profissionais nessa área.
        O valor dos recursos repassados mensalmente ao Nordeste como incentivo a essas equipes também aumentou. Apenas no mês de junho de 2004, os nove estados nordestinos receberam do governo federal mais R$ 7,9 milhões para essa finalidade. Em dezembro de 2002, os incentivos somavam R$ 2,55 milhões.
        O aumento dos incentivos às equipes de atenção básica é uma das frentes de ação do Brasil Sorridente, a primeira política nacional estruturada de atenção à saúde bucal já desenvolvida no país, lançada em 17 de março deste ano. O Ministério da Saúde está investindo R$ 1,3 bilhão até 2006 para garantir assistência odontológica à população.
        A importância de investimentos na saúde bucal foi comprovada pelo SB Brasil, o maior levantamento já feito no país nessa área, finalizado em março deste ano. De acordo com o estudo, 13% dos adolescentes brasileiros nunca foram ao dentista. Considerada apenas a região Nordeste, esse índice sobe para 21,76%.
        Há dois tipos de equipe de saúde bucal: um formado por um dentista e um auxiliar de consultório, e outro que conta também com um técnico em higiene bucal. Esses profissionais estão aptos a fazer procedimentos mais simples como extração dentária, restauração, aplicação de flúor e resina. Eles também estão sendo orientados a diagnosticar o câncer de boca, um dos principais problemas da saúde bucal no país. Em 2002, 3.500 brasileiros morreram de câncer de boca.
        Além do atendimento básico, com o Brasil Sorridente a população passa a ter acesso também a tratamentos especializados, como canal, doenças da gengiva, cirurgias odontológicas, câncer bucal em estágio mais avançado, endodontia e ortodontia. Isso será possível com a construção de Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs). Antes do lançamento do Brasil Sorridente apenas 3,3% dos tratamentos especializados eram feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Dois desses centros já estão em funcionamento: um em Sobral (CE) e outro em Caruaru (PE). Até o final de 2006, 354 centros de especialidade serão inaugurados em todo o Brasil.
        Qualquer município que seja atendido pelo Programa Saúde da Família pode ter equipes de saúde bucal financiadas pelo Ministério da Saúde. Para isso, deve propor a implantação de equipes ao Conselho Municipal de Saúde, que encaminhará o pedido à Secretaria Estadual. Após avaliação, a reivindicação será submetida ao Departamento de Atenção Básica da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério. O município se responsabiliza pela contratação de profissionais e pelo espaço físico onde as equipes serão instaladas.

fonte: Agência Saúde , Setembro de 2004.
PARTICIPE
Envie seus artigos para a equipe webodonto.com e veja eles publicados.
CONSULTE
Agora temos o DEF on-line para consulta a qualquer momento.
CURSOS
Curso de Atualização promovido pela Universidade de Passo Fundo.
DOWNLOADS
Novo Código de Ética Odontológico em vigor desde 20 de maio de 2003.
CONGRESSOS
Os principais congressos nacionais e internacionais estão agendados aqui!!
 

IMPRIMIR   ::   TOPO   ::   PÁGINA INICIAL   ::   FALE CONOSCO   ::   ANUNCIE
Todos os direitos reservados. Copyright© 2002/2005, www.webodonto.com ®