CADASTRO  ::   CLASSIFICADOS  ::   FALE CONOSCO   ::   PARTICIPE   ::   ANUNCIE
:. Página Inicial
:. Adicionar aos Favoritos
Google
  CIENTÍFICA
  Cursos
  Fórum
  Links

 
  WEBTURMAS
  Mural

  Turmas
  
  SERVIÇOS
  
  UTILIDADES
  
 
 
Notícia 19/04/05

LASER AGILIZA CONFECÇÃO DE PRÓTESES DENTÁRIAS

Quem já fez ou conhece alguém que tenha feito um implante dentário sabe que o processo, embora vantajoso, é lento e cheio de etapas a serem cumpridas, fases estas que tornam o trabalho demorado.

Foi pensando em abreviar estas etapas que o professor de Implantodontia do Hospital de Anomalias Craniofaciais da USP, o Centrinho de Bauru, Heli Brosco, iniciou os testes de solda a laser, uma opção técnica para a confecção de estruturas protéticas de uso odontológico que serão utilizadas tanto em próteses dentárias convencionais, quanto em próteses sobre implantes osseointegrados, à base de titânio.


Esta solda, que foi testada pelo Centro de Caracterização e Desenvolvimento de Materiais (CCDM) da Universidade Federal de São Carlos, é feita através de um disparo de raio laser que promove, com alta temperatura e precisão, a fusão das partes a serem unidas. Porém, o raio não promove a fusão da área total de uma só vez. Uma seqüência de disparos vai sendo realizada gradativamente. A cada disparo, a luz penetra até a parte central da estrutura. Em alguns segundos, duas peças se transformam em uma. "Foi um abreviamento dos procedimentos técnicos de laboratório", afirma Brosco.

A maior vantagem desta solda é a rapidez com que promove a união das partes metálicas das próteses dentárias. Enquanto nos procedimentos normais de soldagem são necessárias uma série de passos técnicos de laboratório, o laser simplifica o procedimento, sendo executado diretamente sobre o modelo protético, no próprio consultório.

Para entender melhor é preciso comparar este processo ao mecanismo convencional. Condicionado ao uso do velho e conhecido maçarico, o procedimento antigo passa por vários passos laboratoriais. Primeiro a peça que será soldada precisa ser colocada num forno para que adquira calor, o que facilita o procedimento de soldagem.

As vantagens do laser

Ao sair do forno, a área a ser soldada é submetida ao maçarico. Para a perfeita união, é necessária a interposição de um pedacinho de um metal que derreta mais fácil. Esta solda de menor fusão derrete e uni as partes que se deseja. "Isso vai me custar de três a quatro horas, com a solda a laser eu tenho em cinco ou dez minutos a peça pronta", informa o pesquisador.

Além da demora, a soldagem através do maçarico (que necessita do oxigênio para provocar o fogo) pode eventualmente causar uma porosidade (inclusão de óxidos) no metal, o que diminui a resistência do ponto soldado. Com o laser, a atmosfera em que é feita a soldagem é livre de oxigênio (é uma atmosfera de argônio) - o que impede a formação de óxidos.

Agora imagine se na hora da prova, a prótese necessitar de algum ajuste. Geralmente, estas próteses têm o acabamento em acrílico (que simula uma gengiva) e não suportaria o calor do maçarico. Não fosse a solda a laser, que permite reparações na prótese depois de pronta (desde que a área a ser re-soldada seja favorável), a peça teria que ser refeita. "Ela -a solda a laser- não interfere nos materiais de revestimento que estão sobre a estrutura protética", diz Brosco.

Encaixe quase perfeito

È comum a prótese dentária na adaptar-se ao maxilar do paciente devido as deformações sofridas pela estrutura durante o processo de confecção. Todo metal submetido ao calor tende a dilatar e na sua solidificação sofre uma contração. A nova técnica também resolveu este problema de tração. Como o raio laser tem alta energia, promovendo a fusão e a solidificação muito rápida, minimiza os defeitos causados pela tração.

Com a solda a laser, cada disparo poderia causar pequenas possibilidades de tração - o que poderia modificar a forma da prótese. Porém, como um disparo é seguido de outro, o primeiro, que já esta solidificada, impede que a contração aconteça. "Isso faz com que o resultado final da estrutura protética seja com pequenas desadaptações", explica.

Depois de testada e aprovada, o único entrave para a divulgação desta técnica em laboratórios odontológicos é o custo do aparelho que permite a soldagem precisa. È um aparelho importado que apenas alguns laboratórios possuem.

Brosco para realizar a pesquisa, que durou cerca de dois anos e ainda não esta completa, conta com a colaboração de outras instituições ligadas à área. Os próximos testes a serem realizados com a solda, segundo o professor, serão para verificar se ela também é eficiente quando o espaço a ser soldado é maior do que o indicado. "Ainda estamos trabalhando para formar uma opinião sobre a eficiência da técnica, para que seja divulgada com segurança à comunidade odontológica", informa.

fonte: Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais/USP
PARTICIPE
Envie seus artigos para a equipe webodonto.com e veja eles publicados.
CONSULTE
Agora temos o DEF on-line para consulta a qualquer momento.
CURSOS
Curso de Atualização promovido pela Universidade de Passo Fundo.
DOWNLOADS
Novo Código de Ética Odontológico em vigor desde 20 de maio de 2003.
CONGRESSOS
Os principais congressos nacionais e internacionais estão agendados aqui!!
 

IMPRIMIR   ::   TOPO   ::   PÁGINA INICIAL   ::   FALE CONOSCO   ::   ANUNCIE
Todos os direitos reservados. Copyright© 2002/2005, www.webodonto.com ®